Paseo de Antonio Machado ou de as Murallas

Descrição

“Caminhante não há caminho, o caminho faz-se caminhando”, diz um dos versos mais famosos de Antonio Machado, e caminhar é a melhor maneira de desfrutar deste Paseo de Antonio Machado, também conhecido como Paseo de las Murallas.
O grande poeta espanhol foi um dos ilustres habitantes de Baeza. Instalou-se na cidade em 1912, poucos meses após a morte da sua jovem esposa, Leonor, para dar aulas de francês na escola secundária, localizada na Antiga Universidade. Um Machado enlutado refugiou-se na atmosfera rural desta cidade e nos seus passeios na periferia, que, muitas vezes, terminavam na antiga muralha ou no caminho de San Antonio.
No Paseo de las Murallas ou de Antonio Machado, encontra-se um busto do poeta feito por Pablo Serrano, em 1965. É uma escultura de bronze num cubo de betão que foi inaugurado definitivamente em 1983. Esse busto do autor de Campos de Castilla pode ser visto durante o passeio, mas é também um momento perfeito para desfrutar da espetacular paisagem de Baeza, onde se pode admirar o vale do Guadalquivir coberto por um manto de oliveiras e com a silhueta da serra de Cazorla ao fundo. O passeio é recomendado em quase qualquer altura do dia, mas fazê-lo ao pôr-do-sol é uma experiência cativante. Os desportistas também encontrarão aqui uma rota perfeita para correr, porque é sempre mais agradável fazer exercício combinado com uma boa vista.

  • Paseo Machadiano

    É claro que este percurso faz parte do tradicional passeio Machadiano, que normalmente se realiza em fevereiro. A caminhada começa na Calle San Pablo, junto à escultura do autor realizada por Antonio Pérez Almahano, e passa pelo centro histórico, passando pela antiga casa do poeta, pelo Palácio de Jabalquinto, antes de sair para o passeio junto às muralhas. A atividade termina junto ao busto no Paseo de las Murallas, onde é feita uma oferenda de flores e são lidos alguns dos poemas do escritor.
    As muralhas são também algo digno de admirar durante o passeio. É verdade que só se conserva alguns restos desta construção medieval, que chegou a ter um perímetro de 1975 metros, pois Isabel, a Católica, ordenou a sua destruição parcial em 1476, a fim de evitar lutas internas entre nobres. As partes mais vistosas da muralha são, sem dúvida, a torre de Aliatares, uma antiga torre árabe do século XII, o arco do Barbudo, o arco de Villalar e a Puerta de Úbeda, estes últimos que se encontram já no interior da cidade.
    O passeio inspirou e ajudou Antonio Machado durante os momentos mais difíceis da sua vida, mas que foram captados em alguns dos seus mais belos versos:

    De la ciudad moruna (Da cidade moura)
    tras las murallas viejas, (atrás das muralhas velhas,)
    yo contemplo la tarde silenciosa, (contemplo a tarde silenciosa,)
    a solas con mi sombra y con mi pena. (sozinho com a minha sombra e a minha tristeza.)
    El río va corriendo, (O rio vai correndo,)
    entre sombrías huertas (entre sombrias hortas)
    y grises olivares, (e olivais cinzentos,)
    por los alegres campos de Baeza (pelos alegres campos de Baeza)

    Caminos. Antonio Machado,1913.

Galeria de imagens

Mais informações

Paseo de las Murallas 23440 Baeza, Jaén